Museu da Amazônia, contato direto com a Floresta Amazônica

O Museu da Amazônia, popularmente conhecido como MUSA é uma bela atração da capital do Amazonas, Manaus, situada a 127 km de Presidente Figueiredo. O Jardim Botânico Adolpho Ducke, outro nome pelo qual o MUSA é conhecido, é uma porta de entrada para a Floresta Amazônica, uma vez que situa-se às margens da floresta, e suas atividades são realizadas em contato direto com a natureza.

Vista Torre de Observação MUSA (foto: Ângela Quinelato – www.passeios.org)

O que fazer no Museu da Amazônia?

O MUSA é um espaço cultural de grande importância não somente para Manaus, mas também para o Brasil. Lá, o visitante encontra diversas atrações, trilhas com diversos graus de dificuldades, e tem contato direto com a fauna e flora locais, que são bastante peculiares.

Ao chegar no Museu, o turista poderá escolher se fará o passeio acompanhado de guia ou não, lembrando que com guia, o visitante pode ir a algumas trilhas mais difíceis, e que podem ser mais aventureiras. Ao longo do parque, há as seguintes atrações:

  • Torre de Observação do Museu da Amazônia – uma das atrações mais conhecidas é a torre de observação, que conta com 42 metros de altura e 242 degraus (há pontos de parada durante a subida). Para se chegar até ela, o visitante deve percorrer uma trilha muito bem sinalizada, com duração de 10 a 15 minutos. Chegando lá, começa-se a subir, e a se ter a sensação de imersão na floresta, uma vez que a torre está cercada pelas imensas árvores da região. Ao se chegar ao topo, pode-se ter uma vista incrível da imensidão verde, além de diversos animais que existem no local. Vale a pena conhecer.
  • Borboletário – localizado às margens da trilha principal, o local abriga algumas espécies de borboletas da região, que podem ser mais visualizadas no período do verão amazonense, entre julho e dezembro;

    Torre de Observação MUSA (foto: Ângela Quinelato – www.passeios.org)
  • Fungário – como o próprio nome sugere, o fungário é o local onde há diversas espécies de fungos, de diversas cores, que chamam a atenção do visitante;
  • Laboratório experimental de serpentes – para os amantes dos répteis, há um local para admirar algumas cobras que existem no MUSA, como a jararaca-do-norte e a cobra cipó;
  • Lago de Vitórias-régias – uma das plantas mais peculiares da região amazônica é a vitória-régia, bastante chamativa por sua imponência na superfície das águas. No Museu da Amazônia há um lago repleto delas para que os visitantes possam tirar belas fotos e conhecer um pouco mais sobre essas belezuras.
  • Aquário de peixes e anfíbios – uma das exposições que há no MUSA refere-se às diferentes espécies de peixes e anfíbios encontrados na região amazônica, como o Poraquê, conhecido por dar descargas elétricas bastante perigosas. Lá, cada um deles possui seu próprio aquário, que conta com informações para melhor conhecimento dos visitantes.
  • Jardim sensorial – uma das atrações mais novas do Museu é um jardim com plantas de diversas regiões brasileiras, que conta com algumas espécies de pimenta malagueta, manjericão, alecrim, entre outras. Vale a pena se perder nesses aromas.
  • Bromeliário e Orquidário – outra atração para os amantes das flores, o Bromeliário e Orquidário situam-se na mesma estufa, a qual abriga diversas espécies de bromélias e orquídeas, que encantam com suas belas cores e aromas.
  • Trilhas – O MUSA abriga diversas trilhas para atender aos visitantes que buscam uma maior imersão na Floresta Amazônica, sendo que a maioria delas pode ser feita somente com guias. Em todas elas há o contato direto com a natureza, que às vezes surpreende os visitantes com algumas espécies de animais, como algumas cobras, ou aranhas, como as famosas caranguejeiras.
  • Aturás, beijus e mandiocas – uma bela exposição do local, que retrata a vida da população local e dos indígenas, com suas formas de conseguir alimentos, os quais são majoritariamente à base de mandioca.

    Lago Vitória-régia (foto: Ângela Quinelato – www.passeios.org)

Vale lembrar que lá dentro há lanchonete e lojinha para quem se interessar em levar algumas lembrancinhas, ou para o caso de bater uma fome após a trilha. Como se trata de um local no meio da floresta, recomenda-se o uso de sapato fechado e bastante confortável, além de protetor solar.

Endereço: Avenida Uirapuru, s/n – Cidade de Deus. Horário de funcionamento: todos os dias, exceto quarta-feira, das 8:30 às 17 horas. A bilheteria fecha às 16 horas.

Hotéis em Manaus

A cidade dispõe de boa infraestrutura hoteleira para atender seus visitantes.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.