Museu do Seringal, história e cultura no estado do Amazonas

Museu do Seringal, história e cultura no estado do Amazonas (foto: Evandro Marques - www.passeios.org)

O Museu do Seringal Vila Paraíso localiza-se na zona rural de Manaus, capital do estado do Amazonas, às margens do belíssimo e imponente Rio Negro. Inaugurado em 2002, o espaço era, inicialmente, o cenário do filme “A Selva”, mas que foi posteriormente cedido ao estado do Amazonas para funcionar como um museu que busca retomar a realidade de um seringal do século XIX, época do Ciclo da Borracha, que foi de grande importância econômica para aquela região.

Museu do Seringal (foto: Evandro Marques – www.passeios.org)

Como chegar ao Museu do Seringal?

Para se chegar ao museu de carro, são cerca de 88 km partindo de Manaus, uma vez que a estrada existente é a mesma que segue para Presidente Figueiredo, a qual bifurca-se em certo ponto. Por estar em uma área da Floresta Amazônica, possui acesso mais demorado para veículos terrestres.

Contudo, como trata-se do Amazonas e de seus rios imensos, o melhor meio para se chegar até lá é por meio de embarcações que saem da tradicional Marina do Davi, na orla da Praia de Ponta Negra. De lá partem frequentemente barcos que fazem o trajeto em cerca de meia hora, e que fazem paradas em algumas comunidades da região. Após essas paradas, chega-se ao museu, que, ao final da visita, chama outras embarcações para que os visitantes possam voltar a

Museu do Seringal (foto: Evandro Marques – www.passeios.org)

Manaus.

Visita ao Museu do Seringal

A visita ao museu deve ser feita mediante pagamento de uma pequena taxa, que dá acesso a todos os locais com o auxílio de guia. Durante a visita, o turista pode conhecer a Casa do Coronel, que era dono do seringal; a casa dos seringueiros, trabalhadores que extraíam o látex das seringueiras; a capela; um pouco da floresta, com demonstração ao vivo de como era feita a extração do látex; além de locais como a cabana onde era moldada a borracha, e a casa de farinha, onde os trabalhadores faziam farinha de mandioca no período de chuvas. Além disso, pode-se brincar com a borracha verdadeira que existe no local, que pesa cerca de 10 kg.

Durante essa visita, os visitantes são levados ao passado por meio da história que faz parte do Museu do Seringal, sendo um ponto de parada obrigatória para quem decide conhecer as belezas da Floresta Amazônica.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.