Encontro das Águas, uma das maravilhas da Região Amazônica

O Encontro das Águas é um espetáculo natural que ocorre entre as águas dos rios Negro e Solimões na belíssima capital Amazonense, Manaus. O encontro refere-se ao fato de os dois gigantes rios da região se aproximarem, terem suas correntezas lado a lado durante aproximadamente 6 km, mas não se misturarem. Tal fato, explicado de diversas formas, tem sua explicação científica baseada em questões de densidade, pH e temperatura.

Encontro das Águas Manaus (foto: Ângela Quinelato – www.passeios.org)

Isso ocorre pelo fato de o Rio Negro, de coloração realmente bastante escura, ser um rio extremamente ácido, que nasce na Colômbia e possui águas em temperaturas mais elevadas. Sua coloração se dá em decorrência da decomposição de matéria orgânica de pântanos e dos solos às margens desse rio, o que faz com que suas águas sejam pretas. Vale lembrar também que o Rio Negro é o maior afluente da margem esquerda do Rio Amazonas, e um dos três maiores rios do mundo.

Já o Rio Solimões, que possui suas nascentes nos Andes Peruanos, possui águas bem mais frias, de coloração amarelada em decorrência de suas águas barrentas, e possui pH menos ácido em comparação ao Rio Negro; é ele que, mais à frente, dará origem ao gigantesco Rio Amazonas.

Em razão dessas diferenças químicas e físicas, ambos não se misturam e formam um espetáculo natural que chama a atenção de qualquer visitante, e que é uma das maiores atrações de Manaus, a belíssima capital Amazonense.

Encontro das Águas (foto: Ângela Quinelato – www.passeios.org)

Passeios Encontro das Águas

Para conhecer essa maravilha da natureza, o visitante poderá optar por duas opções de portos, sendo que em cada um deles há opções diversas de passeios.

  1. Porto de Manaus – a opção mais tradicional para ir ao Encontro das Águas é saindo do Porto de Manaus, que conta com várias operadoras de turismo que fazem o trajeto. Há opções com durações variadas, que podem ser de 3 horas, até 8 horas. Nas opções mais demoradas, há opção de almoço, banho em igarapés, visita aos botos e diversas outras atrações. Nesse tipo de passeio, a embarcação é coletiva, levando em média 20 pessoas, e tem horário fixo para deixar o porto.
  2. Porto do Ceasa – partindo do Porto do Ceasa há passeios mais rápidos, que podem ter duração variando entre 1 e 3 horas, sendo que a de 3 horas leva o visitante a comunidades flutuantes, estações de pesca do Pirarucu, Parque Ecológico do Lago Janauari, e confere maior dinamismo e oportunidade ao turista. Isso ocorre pelo fato de a maioria das embarcações comportarem poucas pessoas, o que faz com que o horário de saída e o preço possam ser negociados direto com o piloto da lancha. Vale a pena dar uma passada lá e conferir as opções. Nesta opção, como o barco é menor, o visitante tem a oportunidade de sentir com as próprias mãos, a diferença de temperatura entre os dois rios, que é uma experiência bastante interessante.

    Comunidade flutuante Rio Negro (foto: Ângela Quinelato – www.passeios.org)

Em ambos os passeios, o turista será levado a um ponto de encontro dos rios, lembrando que não é permitido tomar banho nessas áreas, uma vez que a profundidade pode chegar a 80 metros, possuindo, portanto, áreas específicas para que seja realizada tal atividade.

Além disso, é importante que o visitante se lembre da importância de manter a natureza preservada, não jogando lixo para fora da embarcação, e, nas áreas de parques, não jogar lixo fora das lixeiras.

Confira ainda:

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.