Estrada Real, circuito que integra o passado e o presente

Estrada Real, circuito que integra o passado e o presente (foto: https://viagemdemoto.com/minas-gerais/284-roteiro-viagem-de-moto-estrada-real)

A Estrada Real, cujo percurso tem origens no século XVII, é o maior circuito turístico do Brasil, com mais de 1630 km, e que abrange três estados brasileiros. A rota, que passa por Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, abrangendo 199 cidades,  foi idealizada pela Coroa Portuguesa na época do Ciclo do Ouro, e tinha como objetivo facilitar o transporte de ouro e diamantes de Minas Gerais aos portos do Rio de Janeiro, de onde seriam levados à Europa.

O que é a Estrada Real?

Estrada Real (foto: https://magazine.zarpo.com.br/estrada-real/)

O Circuito da Estrada Real, além de servir como rota para o transporte de minérios e pedras preciosas, também foi um dos principais propulsores da urbanização do centro-sul do Brasil, uma vez que a abertura de estradas no interior promoveu a origem de diversas vilas e povoados, os quais, posteriormente, geraram muitas das cidades existentes.

A rota turística em si, é uma viagem ao passado, que conta com as vias de acesso entre as cidades, os pontos de parada, as cidades e vilarejos históricos, além das diversas trilhas utilizadas pelos escravos. Ao longo dos 1630 km de extensão, há marcos sinalizando a localização, para que o visitante nunca se perca.

Caminhos da Estrada Real

Por ser um trajeto bem extenso, existem diversos caminhos na rota, os quais ligam diferentes cidades e contam diferentes períodos da história que se passou por lá:

Petrópolis (foto: (Foto: http://www.pousadamonteimperial.com.br/)
  • Caminho Velho – conhecido também como Caminho do Ouro, é o primeiro percurso que foi projetado pela Coroa Portuguesa, e inicialmente ligava as cidades de Ouro Preto e Paraty. À época, como o trajeto era feito a cavalo, o tempo de viagem durava cerca de 60 dias. Atualmente, as principais cidades desse circuito são Tiradentes, São João del Rei, Caxambu e Paraty. São 710 km, sendo que 11,5% são asfaltados, 6% correspondem a trilhas e 82,5% correspondem a estradas de terra.
  • Caminho Novo – idealizado como um trajeto mais seguro em relação ao Caminho Velho, o Caminho Novo remonta a época das bandeiras e das diversas explorações do território, ligando Ouro Preto ao Rio de Janeiro. Com 515 km de extensão, sendo que 63% correspondem a estradas de terra, esse trajeto passa pelas cidades históricas de Lavras Novas, Juiz de Fora, Paraíba do Sul e Petrópolis.
  • Caminho dos Diamantes – como o próprio nome do percurso sugere, o Caminho dos Diamantes conectava as cidades de Ouro Preto a Diamantina, principal ponto de exploração de diamantes. Nesse trajeto, o que chama a atenção, além da história em si, são as diversas belezas naturais da região e a gastronomia mineira que é um espetáculo à parte. Entre as cidades históricas que encontram-se nesse trajeto, estão as cidades de Diamantina, Serro, Mariana e Ouro Preto. São 395 km de percurso, sendo que o viajante passa na belíssima Serra do Espinhaço. Assim como nos outros trajetos, a maioria das estradas são estradas de terra.

    Serro (foto: portal Prefeitura de Serro)
  • Caminho do Sabarabuçu – localizado nos arredores de Ouro Preto, o local tem esse nome em razão de alguns viajantes terem avistado um brilho muito forte no alto da Serra da Piedade, e logo terem associado como ouro, mas na verdade era minério de ferro. Com apenas 160 km de extensão, esse percurso abrange as cidades históricas de Cocais, Caeté, Sabará e Glaura. Nesse trajeto, não há estradas asfaltadas, mas somente estradas de terra e trilhas.

O que fazer na Estrada Real?

Ao percorrer os 1630 km dessa bela estrada repleta de histórias, o viajante, além de poder parar nas cidades que fazem parte do circuito e aproveitar suas atrações, também possui outras opções.

  • Atrações naturais – um dos principais motivos que chamam a atenção nesse circuito são as belezas naturais que podem ser encontradas, que incluem cachoeiras, cânions, o Parque Estadual do Ibitipoca, Parque Nacional da Serra do Cipó e diversos outros parques que podem ser visitados, e que reservam aventuras aos visitantes.

    Serra do Cipó (foto: https://www.uai.com.br/app/noticia/turismo/2017/08/09/noticias-turismo,211202/conheca-a-serra-do-cipo-o-santuario-da-flora-brasileira.shtml)
  • Atrações históricas e culturais – dentre atrações históricas e culturais, o visitante também está muito bem servido. Nas cidades históricas, principalmente Ouro Preto, São João del Rei e Tiradentes, o turista pode adentrar igrejas inteiramente decoradas com ouro, que refletem o período de construção da Estrada Real. Além disso, há diversos museus, construções da época e passeios de maria fumaça.
  • Gastronomia – reza a lenda que a gastronomia mineira é a melhor do Brasil. Então, como Minas está inclusa no trajeto, a gastronomia da Estrada Real também é de tirar o fôlego. Isso porque são servidos pratos tradicionais, desde os mais simples até os mais requintados, e que incluem especialidades do interior, como os queijos, o doce de leite, a cachaça e doces artesanais. Vale a pena degustar e até repetir a dose.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.