Afinal, o que é e como funciona o Turismo Gastronômico?

Rate this post

Muito provavelmente você já deve ter se deparado com diversos termos emergentes relacionados a viagens, como enoturismo, turismo rural, ecoturismo, dentre outras modalidades. Contudo, embora a busca pelo lazer e a fuga da rotina estejam dentre os principais motivadores para a realização de uma viagem, você sabia que o Turismo Gastronômico vem se destacando como um grande atrativo de diversos destinos turísticos?

Isso mesmo! Essa modalidade, além de ter um grande potencial, e de permitir o conhecimento da cultura do destino ainda mais a fundo; o turismo culinário, como também é chamado, é responsável por movimentar milhões de reais todos os anos no Brasil; além de ser uma excelente opção para quem busca diferentes atividades durante o passeio.

Turismo Gastronômico (foto: https://www.saboravida.com.br/gastronomia/2018/10/10/turismo-gastronomico-em-porto-seguro/)

Mas, afinal de contas, o que é o Turismo Gastronômico?

Como o próprio nome sugere, o turismo gastronômico é aquela modalidade em que o principal atrativo é a comida. De forma bem direta, seria isso. Mas, na verdade, esse conceito é muito mais amplo e profundo, de modo que esse tipo de turismo permite um grande conhecimento acerca da cultura local, de sua história e de seus costumes.

Desse modo, é possível pensar no turismo culinário de diferentes formas; visto que o turista pode ser atraído pela oportunidade de experimentar pratos típicos da gastronomia de uma determinada região, tal como experimentar um delicioso acarajé na Bahia, o arroz carreteiro no Rio Grande do Sul, ou um delicioso pão de queijo mineiro; mas também pode ser atraído pela existência de restaurantes e bares de chefs renomados, com uma culinária mais refinada.

Ah, e um outro ponto que chama muito a atenção no turismo gastronômico é justamente a existência de eventos culinários que visam atrair o visitante para a cidade; tais como os conhecidos e amados festivais gastronômicos, em que são oferecidos diferentes pratos típicos da cultura local; além de haver uma grande associação com a venda de bebidas artesanais, como vinho, cervejas e licores.

Essa estratégia é muito utilizada em diversas cidades brasileiras, como por exemplo em Guidoval, na Zona da Mata mineira, em que há um grande festival gastronômico no mês de julho; em Divinésia (MG), onde todo mês de setembro há a realização de um festival de comidas típicas e cervejas artesanais; os famosos festivais de Macaé, no litoral do Rio de Janeiro; a Festa Pomerana, que ocorre em janeiro em Pomerode (SC); dentre outros locais bem legais e que valem a visita.

Turismo Culinário (foto: https://bituems.wixsite.com/turismo/post/f%C3%B3rum-mundial-de-turismo-gastron%C3%B4mico-da-omc-j%C3%A1-tem-data-marcada)

E como funciona essa modalidade?

Além da possibilidade de participar dos festivais, como já mencionado, o turismo gastronômico pode ser desenvolvido de diferentes formas, tais como:

  • A partir da realização de um tour na cidade para conhecer as comidas de rua;
  • Conhecer diferentes rotas turísticas, como o Vale dos Vinhedos, que é uma opção tanto de turismo culinário, quanto de enoturismo;
  • Visitar mercados públicos, que são o principal local onde o visitante pode conhecer comidas típicas do seu destino;
  • Conhecer a produção de comidas caseiras a partir de produtores locais, atividade muito desenvolvida no turismo rural e no agroturismo;
  • Degustar diversos pratos nos restaurantes mais recomendados da cidade.

Vale lembrar ainda que, embora estes sejam os principais modos pelos quais o turismo gastronômico pode ser realizado, cada turista deve descobrir o modo que se sinta mais à vontade para conhecer um pouco mais sobre a gastronomia regional. Bom apetite e boa viagem!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.